segunda-feira, 22 de junho de 2009

Yabás

És a Vênus Cabocla brasileira,
Oxum, Afrodite, Anastácia!
Afro, dite! E dite com firmeza
Liberte-se dos espelhos
Internalize essa beleza!

Ès o rio que percorre...
Lave a humanidade!
Ultrapasse os limites
Tire dos homens a soberanidade!

Tão fértil quanto o Nilo
Do ventre crias faz nascer.
Não permitas que te maltratem
Te segreguem, te destratem
E te espanquem até morrer.

És dona das águas, do vento, do trovão
Liberte essa heroína,
Enalteça essa menina,
Revire a história divina
E protagonize essa oração!

Tua capacidade é tão equanime quanto a do outro sexo
Ocupe os espaços,
Alcance com teus braços
Saia dos armários
Desfaça os laços, entrelaços diversos.

Ès a Deusa soberana da Minha religião
Oxum; Yansã; Yemanjá
Ora Ieiê; Epa Hey; Odoyá
Toma o poder...
Tens o abebé na mão!


Dedicada à todas as mulheres.

3 comentários:

Reinaldo Sousa disse...

Uau... Que lindo, minha irmã!
Que assi seja!

Leila disse...

Adooooooorei!!! AXÈÈÈÈ \o/

la petite jolie disse...

olá, td bom ?

sou dramaturga e estou escrevendo uma peça com a temática das Yabás e gostaria de usar esse poema como principio de estudos, posso ?
Me mande uma resposta e com ela o nome da autora do poema para que possa dar o devido crédito
Asé

Priscila T´Yemoja